top of page

Cartas para ninguém

2018
Livro de artista, técnica mista
36cmx26cm

Exposição Coletiva XII Salão do Campus 8, e 5º Prêmio Koralle.

Exposto na Galeria de Arte e Espaço Alternativo Campus 8 e na Sala de Exposições do Centro de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho, Caxias do Sul/RS 

Cartas para ninguém, Identidade, substantivo feminino, que indica estado de semelhança absoluta e completa entre dois elementos com as mesmas características principais; série de características próprias de uma pessoa ou coisa por meio das quais podemos distingui-las; aquilo que contribui para que uma coisa seja sempre a mesma ou da mesma natureza. Coletivo, adjetivo, que abrange muitas coisas ou pessoas; relativo ou pertencente a muitas coisas ou pessoas; que é intrínseco à natureza de um grupo, que é inerente ou pertence a um povo, uma classe, etc. 1 Com o intuito de dialogar sobre o eu artista, ideias binárias de coletivo e individualidade, presença e ausência, tempo e memória conectados através da costura, escrita, apropriação e ressignificação de palavras, espaços e imagens, o livro de artista(s) “Cartas para ninguém” é composto por textos que são produzidos por alguém, contando histórias ilusórias baseadas em histórias reais, endereçadas a ninguém. Discursando sobre a questão da identidade pessoal e da ocupação social como seres individuais em espaços de coletivo, se livrando da identidade individual para assumir uma identidade de grupo, podendo assim construir novas memórias e narrativas. O desafio é conseguir deixar de dialogar sozinho, apropriar-se de multi linguagens e passar a construir novas formas de interação. Concentrado em si mesmo e ampliado para o coletivo, o ser humano é considerado, então, apenas realizações e impressões, sendo signo absoluto. As páginas são produzidas uma a uma e são dispostas de maneira que são unidas apenas por um cordão, indicando uma junção de fatos que não seguem uma cronologia, podendo ser, assim, a cada diferente montagem uma nova narrativa.

bottom of page